Uma visita a’Os Maias

No dia 22 de fevereiro, a Escola Secundária de Gondomar proporcionou uma visita ao teatro no Auditório de Gaia para assistir à peça ” Os Maias “, retratando episódios essenciais da obra homónima de Eça de Queirós.
O público deste espetáculo foram alunos do 11º ano. Enquanto os atores desempenhavam os seus papéis, ouviam-se risos e comentários de agrado de quem assistia. A minha preferência inclinou-se para a personagem João da Ega já que, na minha opinião, o empenho do ator foi notável e o seu bom humor impossível de ignorar. No entanto, não deixei de reparar na personagem importantíssima de Carlos da Maia. Este segundo ator foi também dedicado e a sua atuação chamativa. Dâmaso, como esperado, arrancou sorrisos até mais não e algo que penso que não deve ser esquecido é o facto de o ator que representou esta personagem, já tão complexa, ter desempenhado mais dois papéis, sendo estes o de avô de Carlos e o de suposto marido de Maria Eduarda, e todos eles com sucesso.
De menos bom tenho apenas a apontar que me senti de certa forma desiludida com a prestação da atriz responsável pela belíssima Maria Eduarda, pois achei que poderia ter sido muito mais expressiva e intensa.
Adoraria assistir a mais peças realizadas pela companhia de teatro et7ra e noto que esta atividade me ajudou a melhor compreender a obra Os Maias de uma forma apelativa e divertida.

Mariana Dinis, 11 8

Anúncios

O 11º ano foi “ver” a família Maia

Apreciação Crítica:
Os Maias por Et7ra Teatro
No dia 22 de fevereiro, alguns alunos do 11º ano da ESG assistiram à peça intitulada “Os Maias”, interpretada pela Et7ra Teatro.
A peça, apesar de não ter abordado todos os episódios da obra de Eça de Queirós com elevado detalhe, conseguiu apresentar os acontecimentos mais marcantes da intriga principal ( o romance incestuoso de Carlos e Maria Eduarda ) e a breve história da intriga secundária ( o romance de Pedro da Maia e Maria Monforte ).
Na minha opinião, é uma peça representativa dos episódios mais relevantes presentes no livro ( tais como as corridas do Hipódromo, o Jantar no Hotel Central, a “reviravolta” do Baile de Máscaras dos Cohen, o Sarau do Teatro da Trindade e o regresso de Carlos e Ega a Lisboa, após a morte de Afonso da Maia ). O grupo recorre às personagens Carlos e Ega, dando-lhes alguma “liberdade” para narrarem acontecimentos do seu ponto de vista pessoal.
Em suma, realço a qualidade dos atores e de quem idealizou e realizou a peça, pois conseguiram tornar o trabalho de Eça de Queirós mais simplificado e, mais importante ainda, acentuaram os momentos mais memoráveis de Os Maias de uma forma cómica e acessível, contrastando com o teor trágico de ambas as intrigas.
António Pedro Pereira
11º8